23/11/2017

Alunos da Universidade do Ar desfilam no 7 de Setembro

Desfile dos alunos do Núcleo da Universidade do Ar, realizado em 7 de setembro de 1955, na cidade de Matão, em São Paulo | Imagem: Centro de Memória Senac São Paulo

A possibilidade de escolher o horário e local para estudar é um dos maiores atrativos da educação a distância, o que contribui diretamente para a democratização do acesso à educação e capacitação profissional.

Foi com esse objetivo que, em 20 de março de 1728, o professor de taquigrafia Caleb Phillips publicou um anúncio no jornal americano Boston Gazette sobre seu novo método de ensino, que oferecia conhecimento por correspondência. Nele, Phillips destacava que todas as pessoas dos Estados Unidos poderiam aprender a técnica assim como aqueles que viviam em Boston, cidade na qual morava, por meio de lições enviadas semanalmente.

De acordo com pesquisadores, esse é o primeiro registro de educação a distância no mundo, apesar de alguns classificarem as cartas dos filósofos gregos a discípulos ou as mensagens trocadas pelos primeiros cristãos como exemplos dos primórdios da modalidade.

Em 1840, outro professor de taquigrafia, Isaac Pitman, iniciou no Reino Unido o que é tido atualmente como precursor dos programas de educação a distância, enviando cartões postais com passagens da Bíblia para os alunos taquigrafarem e enviarem para sua correção. O método criado por Pitman ainda foi potencializado pela adoção de uma tarifa postal única e a criação de caixas de coleta de cartas, o que tornou o serviço de correspondências mais barato e eficiente.

Também foi na Inglaterra que as instituições começaram a aderir a EAD. Em 1858, a Universidade de Londres criou o External Programme, que permitia estudantes de outras localidades estudarem a distância. A iniciativa levou o escritor britânico Charles Dickens a classificar a escola como "universidade do povo", devido à expansão do acesso ao ensino superior. Oficialmente, a Universidade de Londres se considera a primeira do mundo a oferecer a educação universitária para pessoas que "não eram ricas, trabalhavam ou não podiam frequentar o campus em tempo integral", segundo artigo publicado pela instituição.

No Brasil, pesquisadores apontam como origem da modalidade anúncios anteriores a 1900 publicados em jornais do Rio de Janeiro oferecendo cursos por correspondência, principalmente de datilografia.

Nas décadas seguintes, o rádio e a televisão se tornaram importantes veículos da expansão da EAD no país. Em 1923, surgiu a primeira iniciativa de educação pelo rádio, quando a Academia Brasileira de Ciências criou a Rádio Sociedade para divulgar o tema no país. Nela, eram transmitidos diversos cursos, como de inglês, francês, história, literatura, radiotelefonia e telegrafia. A emissora foi doada à administração pública em 1936, passando a se chamar Rádio Ministério da Educação, conhecida atualmente como Rádio MEC.

Universidade do Ar
O rádio também foi a primeira plataforma usada pelo Senac para promover a educação a distância. A Universidade do Ar, iniciativa desenvolvida no ano seguinte à criação da instituição, se estendeu de 1947 a 1962, registrando mais de 90 mil atendimentos em parceria com o Sesc.

As locuções eram realizadas pelos professores do Senac nas rádios-sede e transmitidas ao vivo aos núcleos receptores, que possuíam professores assistentes para a condução das atividades. A partir de 1953, as aulas passaram a ser gravadas em discos, o que resultou em uma melhor qualidade de áudio. Esses discos eram encaminhados às emissoras de rádio que transmitiam as aulas para os núcleos receptores.

Nesses locais, muitos alunos recebiam instruções que os capacitavam para assumir diversas funções no setor de comércio e serviços. Muitas das lições da Universidade do Ar, entretanto, propiciavam o acesso a informações variadas de cultura geral, contribuindo para que os ouvintes recebessem uma formação mais abrangente.

Os núcleos receptores em cada cidade funcionavam ainda como centros sociais, onde eram promovidas atividades como palestras sobre educação sexual e higiene dental, campanhas de leitura e arrecadação de livros para montagem de bibliotecas.

Confira abaixo alguns exemplos de aulas transmitidas na década de 1950 pela Universidade do Ar, assim como uma galeria de imagens da época, materiais cedidos pelo Centro de Memória Senac São Paulo.


 



Conheça também o portfólio completo de cursos oferecidos pelo Senac EAD.

Fonte: Associação Brasileira de Educação a Distância (Abed) e Centro de Memória Senac São Paulo. 

Leia também:

Confira 5 habilidades essenciais para professores de EAD

Flexibilidade, diploma, networking: desconstrua 4 mitos sobre EAD

Saber gerenciar o próprio tempo é essencial para estudar a distância